Em comemoração ao dia das mulheres que será celebrado na próxima quarta-feira (08/03), a dica cultural é o filme “Estrelas Além do Tempo”. O longa é uma verdadeira obra-prima que traz à tona questões como o racismo e o machismo nos Estados Unidos durante a Guerra Fria.

A trama, baseada em fatos real, tem como pano de fundo a corrida especial disputada pelos Estados Unidos e a União Soviética. É neste contexto que três mulheres negras despontam na NASA, cada um em um lugar estratégico dentro da instituição. Mas, para chegarem a um reconhecimento têm que driblar uma série de preconceitos.

Katherine Johnson era especialista em matemática e capaz de produzir cálculos mais precisos do que as recém-chegadas máquinas da IBM. Ela teve um papel de extrema relevância nas missões que culminaram na chegada do homem à lua.

Dorothy Vaughn era a supervisora da seção de calculadoras humanas composta apenas por mulheres negras na ala oeste da NASA (a instituição não a reconhecia como supervisora, ainda que ela exercesse de fato esta função). Com a chegada dos computadores da IBM, Dorothy previu que o emprego de todas estava em risco e passou a estudar programação para ensinar à sua equipe. Em pouco tempo ela era única conhecia o novo equipamento e foi convidada a se tornar supervisora da área. Ela só aceitou o convite se todas suas colegas também fossem transferidas.

A história de Mary Jackson talvez seja a mais impactante das três já que ela conseguiu se tornar a primeira mulher negra a fazer pós-graduação em engenharia na Universidade da Virgínia e a primeira engenheira negra da NASA. Na época não eram aceitos negros nessa universidade e era uma nova exigência da NASA que quem quisesse ocupar o cargo de engenheiro tivesse pós-graduação ali. Jackson vai à Justiça e em uma brilhante defesa no tribunal ela expõe ao juiz a importância da decisão que ele tomaria possibilitando que ela fosse a primeira negra a estudar na Universidade de Virgínia.

O filme é empolgante e foge completamente do olhar vitimista que seria completamente plausível diante dos fatos. Ao contrário, as protagonistas passam uma lição de perseverança que, com certeza, inspira o público.