Evento debateu aspectos relacionados à atividade de auditoria e o teletrabalho

Nesta quinta-feira (21), os servidores da Câmara Municipal, do Tribunal de Contas do Município e do Estado de São Paulo participaram do seminário ‘O Controle externo e suas atuais dinâmicas de trabalho: foco em resultado e produtividade’. O evento, realizado no auditório da Escola Superior de Gestão e Contas Públicas do TCM, é resultado de uma parceria entre o Sindilex e essa instituição de ensino.

O presidente do Sindicato dos Servidores da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas do Município de São Paulo (Sindilex) participou da mesa de debate e destacou a importância da parceria: “O Sindilex assinou um convênio com a Escola de Contas e isso é um grande avanço do ponto de vista da qualificação dos servidores. As questões que foram discutidas aqui são essenciais para a compreensão da importância da função do auditor no serviço público. Temos muito para contribuir com o exercício da cidadania”, disse.

Segundo Amauri Perusso, presidente da Federação Nacional das Entidades dos Servidores dos Tribunais de Contas do Brasil (Fenastc): “Em um momento com tantos casos de corrupção fica em evidência o papel dos órgãos de controle externo. A parceria com os sindicatos, e instituições privadas também, tem sido um novo passo em direção a conscientização de que o trabalho das auditorias é um benefício para a sociedade”.

O diretor de fiscalização e controle do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE/RS), Leo Arno Richter, destacou algumas das atribuições dos órgãos de controle: “A população tem cobrado respostas cada vez mais rápidas e efetivas quanto aos casos de uso indevido ou mau uso do dinheiro público. O trabalho dos tribunais de contas não é só avaliar quantidade, mas qualidade também. O olhar não deve ser só para os gastos, mas saber como o orçamento foi investido. Pensar em qualidade”, afirmou Richter ao apresentar a experiência gaúcha.

O diretor da Secretaria de Gestão de Pessoas do Tribunal de Contas da União (TCU), Adriano Amorim, expôs números de uma pesquisa realizada com servidores e gestores sobre o teletrabalho. Segundo ele, os dois benefícios mais citados no levantamento foram ausência de deslocamento e aumento da produtividade.

O teletrabalho, ou home office, foi o tema mais debatido durante o seminário. Os participantes puderam conhecer a experiência do Rio Grande do Sul e também do Tribunal de Contas da União. Os expositores apresentaram ainda como o servidor deve proceder em cada órgão para conquistar o benefício de trabalhar de casa. Além disso, eles mostraram os pontos positivos e negativos apontados pelos próprios servidores.

Ao final, o Presidente da Escola de Contas, Conselheiro João Antônio da Silva Filho destacou que a escola está aberta para debater todos os temas relevantes para o sistema dos Tribunais de Contas. “Desejo que os servidores do TCM envolvam-se com a escola, participando e trazendo os temas que consideram importante debater”.

Também estiveram presentes no seminário Eduardo Carrion, presidente da Astcom, Valmir Leôncio da Silva, coordenador da Escola de Contas e Lívio Mário Fornazieri, Subsecretário de Fiscalização e Controle.